segunda-feira, 1 de dezembro de 2008



NÃO FOSSE...NÃO SERIA

Foto: Angelo Sereno



Não fosse aquela mordida vadia em minha orelha

A intenção de contar-me um detalhe

Não fosse o recado soprado

O segredo seria nós dois

Não fosse a tua língua

Pescoço à baixo

Suas mãos avançando entre minhas coxas

Arrastando as cortinas

Abrindo as janelas

Não fosse o meu engano esquecimento

Não fosse a mão no pescoço arrepiar-me os pêlos

Esse olhar de me enganar e levar pra cama

Não fosse todos os registros de autenticidade

Essa marca no pescoço

A gola alta em pleno verão

Não fosse a minha vontade e a sua

A aliança ainda estaria no dedo

Os vasos não teriam sido atirados

O espaço vazio estaria tomado

A traição não teria me matado

No gozo do estourar da champagne


Rosemeri Sirnes



Um comentário:

[ rod ] disse...

Toda ode ao desejo, mesmo que beire ao carnal, evoca ao amor pleno.

Bjs e ótima poesia.




Novo Dogma:
tO be...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/