quarta-feira, 4 de março de 2009

A ÚLTIMA IMPRESSÃO DO TEU CORPO


Oh meu companheiro, que saudade tenho de ti, daquelas conversas de largas pernas, das mãos dadas, das nossas intenções e de tudo que ficou subentendido. Tentei saber notícias suas por algum tempo, mandei algumas mensagens que retornaram a minha caixa postal, nem lembro bem, se por numeração incompleta ou mudança.

Lembro ainda de uma frase ardida de fim de papo em que dissestes, tenho certeza, com total desconcerto, que o melhor para nós dois era a separação.

Você nunca se acostumaria como eu, aos desenlaços, nunca a aliança esteve no dedo, nem a assinatura no papel, nossa condição nunca foi estabelecida por meio; a certeza sempre veio de nós, assim como a decisão cada um para o seu lado, que desceu amarga pela garganta, até que eu pudesse digerir.

Tenho saudade dos pés sobre a mesa de centro, as pernas no meio caminho e a mania de me provocar na frente da tv na hora do meu programa favorito.

Tenho saudade do fim de semana em Ilha Grande, as horas de caminhadas e você dizendo que já estávamos chegando.

Tenho saudade da separação, daquela briga silenciosa que sufocamos até o copo cair e quebrar, o momento em que resolvemos não alimentar mais tanto sofrimento, em que resolvemos não mais justificar nossos corpos juntos.

Tenho saudade da volta, daquele beijo que não sabia por onde começava nem quando terminava, dos nossos corpos exaustos, dos lençóis no chão e a bagunça toda outra vez.

Tenho saudade da despedida, de quando apertou-me a mão, e eu para disfarçar as lágrimas que cedo pousavam na baía dos olhos, disse que tudo ficaria bem e não levei a sério aquela que seria sua última impressão de vida no meu corpo.

Tenho uma saudade que não sossega e é quase tanto como um início de casais inseguros, anseando a vivência, a concordância, a permanência, o eu te amo.

A nossa certeza já estava estabelecida quando deixastes a saudade de ti em mim.



Rosemeri Sirnes


6 comentários:

€ster disse...

Olá Rose!!


Estou passando para
lembrar-lhe que,

Segunda-feira dia 09
é dia de Blogagem Coletiva!

Sucesso para todos nós!


Abs,

fernando disse...

Rose:
Mais uma vez por intermédio da literariedade (pois nem todo texto é literatura)você possibilita ao seus leitores, uma aproximação indiscritivel sobre um fato comum no quotidiano, o silêncio entre pessoas próximas, a não necessidade das palavras para haver comunicação, parabéns!

Cristiane Marino disse...

Olá passei aqui em busca do texto da blogagem, e acabei encontrando outros textos lindosss. Parabéns pela forma com que escreve!!

Faça-me uma visita também participo da blogagem.

Beijos

Philip Rangel disse...

Muitas vezes pergunto como que simples atos de verdade como foi desempenhado pela Ester, nos faz entrar nesse mundo magico de verdade; esse mundo que ao mesmo tempo falamos de algo serio, encontramos novos amigos, novos conteudos. Isso se chama mudança, isso é incluir na sociedade, mostrando o que somos capaz. E hoje ao ler seu conteudo deparo com varias suspresas como essa, que faz eu parabenizar a vc.. pelo excelente trabalho...

Continuemos....abraços

Mayana Carvalho.♥ disse...

Profundo!

Beijos

Mari Amorim disse...

adorei,pisar em flores,me visite
beijos
Mari