quinta-feira, 13 de maio de 2010



COMO SERIA?

Foto: José D’Almeida e Maria Flores


Às vezes fico imaginando se daríamos certo. Imagino você concluindo mais uma de suas crônicas e eu lhe servindo uma xícara de café no meio da tarde. Também penso que deveríamos ter dois computadores em casa e fones de ouvido.

Às vezes fico pensando se nossos gênios suportariam o passar dos dias, se bastaria estarmos juntos para que essa coisa que há entre a gente que nunca sei dizer o que é, um pouco de céu e inferno, desaparecesse.

Às vezes fico querendo pintar uma tela. Nós dois na cozinha, você temperando a carne e eu cortando os legumes e você dizendo que é melhor fazer assim, assado.

Às vezes me vejo lhe aconselhando para que vista a calça xadrez com uma camiseta neutra, de preferência branca, pois fica muito melhor e mais bonito.(mas ao mesmo tempo, não te imagino com uma calça xadrez)

Às vezes fico querendo passar mais tempo contigo de graça, mais tempo pra assistirmos filmes juntos, comédia de preferência, do tipo pantera cor de rosa com Peter Sellers, só pra gente não precisar forçar demais, só pra ser mais simples.

Às vezes me vejo com a cabeça deitada sobre o seu colo num sofá de três lugares, você com suas mãos macias e o que menos interessa é o que está passando na TV.

Às vezes eu sonho acordada com você do meu lado.

Às vezes fico querendo que você me ame, só pra ver se você é capaz.

Às vezes sei o gosto do teu beijo quando está indo e queria que você voltasse só pra ver se é possível.


Rosemeri Sirnes

5 comentários:

Francine Ramos disse...

Gostei do texto: romântico e com pitadas de realidade.

Obrigada por visitar meu blog, faço ele com o maior carinho do mundo. Volte sempre ;)

Beijos!

Emiliane Rosa disse...

Achei seu blog por acaso, adorei...
Mario Quintana diz que um bom poema é aquele que parece estar lendo agente e nao o contrario. Seus textos sao assim. Parabens.

emiliane.

emilianerosa@hotmail.com

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Adorei!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Rose,

Essa realidade que existe no seu texto, não tira, em momento algum, a beleza das flores.

Muito bacana mesmo.

Epsero não perder contato, viu?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

fernando disse...

O hipotético é sempre sofrego, é a certeza do que poderia ter sido dentro da incerteza do tempo.
www.neuroticoautonomo.zip.net